As 4 nobres verdades de Buda

Aqui nesse canal falamos sobre pessoas, sobre as leis e os mecanismos do universo. E dizem que cada um tem a sua verdade. Mas a verdade, é que a verdade é uma só. Só que essa verdade que é uma só, está muito além da nossa capacidade de compreensão.

Nenhuma religião, nenhuma filosofia, doutrina ou teoria é capaz de apresentar a verdade absoluta. Assim como nenhuma religião, filosofia ou doutrina deve ser desprezada. Cada uma delas é uma peça de um grande quebra-cabeça cósmico.

Quanto mais peças você junta desse quebra-cabeça, mais você se aproxima da verdade e mais sábio você fica. O segredo de todo esse conhecimento e sabedoria é você beber de várias fontes. E uma das fontes pra mim é o Budismo.

Acho conveniente tocar nesse assunto agora, por que está sendo muito falado em morte do ego e em sofrimento. Um dos elementos centrais da doutrina do budismo, são as 4 nobres verdades. Essas verdades falam basicamente sobre sofrimento, mas se você pegar nas entrelinhas vai perceber que o universo tem um ritmo, um fluxo natural, que vai desde o crescimento de uma planta até a evolução do planeta.

1. A verdade do sofrimento:

E ela nos diz que a vida está em constante mudança. Tudo passa, nada é permanente. A terra gira ao redor do sol e ao redor de si mesma, isso gera anos, 4 estações do ano, dia e noite. Um dia acaba, e logo em seguida vem o outro, ou seja, tudo é cíclico. Tudo passa, nada é permanente.

E a grande origem do sofrimento é o apego à permanência. É ter algo que é meu e sofrer quando aquilo não for mais meu. Se você é solteiro você tem medo de um dia perder a liberdade, se você é comprometido, tem medo de perder a pessoa que você ama.

O sucesso que você tem, um dia vai passar, o dinheiro vem e vai, a fama termina, o dinheiro termina, o poder não dura pra sempre.

As pessoas tem mais receio de perder aquilo que elas já tem do que deixar de conquistar algo que elas ainda não tem. Isso é fruto do ego.

Então a verdade sobre o sofrimento é o apego a permanência e a resistência a mudança, é aqui que mora a zona de conforto. Mas o mundo é cíclico, é uma constante transição, um movimento. Se você ficar estático, esse movimento via quebrar as suas pernas.

2. A verdade da origem do sofrimento:

E ela explica que essa resistência que nos temos à mudança existe pelo apego e pelo desejo. Na medida que nos ganhamos alguma coisa, ou conquistamos algo, ao invés de satisfazer o desejo, ele só aumenta. E cada vez gente queremos mais e mais – e não, eu não estou falando de sexo e de comida por que isso é um instinto básico de sobrevivência.

Estou falando de poder, de dinheiro, de admiração, coisas relacionadas ao ego. E o pior é que tem gente que se orgulha de ser assim.

O fato é que todo esse jogo de desejo, faz com que, por mais que você ganhe, você esta sempre com uma sensação de perda.

Você conquista coisas, compra coisas, ganha coisas, e isso te promove uma sensação momentaneamente boa, uma satisfação temporária do seu ego. Um dia provavelmente você vai perder essas coisas, ou vai não conseguir conquistar alguma coisa, e é nesse ponto que vem o sofrimento.

E isso existe em nós por causa do ego. E o ego é aquela coisa que faz com que a gente se sinta independente e isolado do resto do mundo, o que é uma grande mentira por que nos somos um todo. E essa falsa crença é a origem das guerras, do ódio e da vingança.

3. A verdade do fim do sofrimento:

E essa verdade afirma que o fim do sofrimento é atribuído ao abandono daquilo que imaginamos ser. São essas palavras que Buda usou, e elas são difíceis de entender, então em outras palavras:  eu estou falando da merda do ego, o falso eu, que faz com que a gente tenha desejos que na verdade muitos deles a gente não precisa.

E os dinheiristas e materialistas que me perdoem. Se você quer correr atrás de sucesso fama e dinheiro, faça isso, isso não é errado porém você está fadado a insatisfação.

Não é errado você querer ter sucesso, conforto e riquezas. Errado é a sua vida girar em torno disso. Errado é você ignorar que existe uma dualidade. Quanto mais você tem, mais você quer, quanto mais quer, maior é a sua insatisfação.

E você que é dinheirista, pode me criticar a vontade. Se te passou pela cabeça comentar aqui em baixo “blá blá blá dinheiro é tudo” comente, e depois leia o próprio comentário, esse é você agindo pelo ego e mostrando pro resto das pessoas a sua falta de capacidade de absorver um conhecimento.

Se fossemos capazes de eliminarmos os nossos desejos de ego, não existiria mais insatisfação ou sofrimento. Mas isso não é algo tão fácil de acontecer. E ai entra a quarta verdade.

4. O caminho que leva ao fim do sofrimento:

Nada mais, nada menos do que a morte do ego. Buda construiu e ensinou um modo de viver, que serve como um caminho, ou uma jornada rumo a morte do ego.

E morte do ego é igual a nascimento do eu verdadeiro. A morte do ego ao contrário do que muitos pensam, não é uma técnica, não é um estalar de dedos, é uma jornada, um caminho.

E esse caminho, se chama o caminho óctuplo de Buda. E pra seguir esse caminho exige uma total dedicação. E é através desse caminho que nos tornamos livres. Livre de desejos de ego, de ilusões.

Ele é nada mais nada menos do que um exercício reflexivo e intelectual que nos fazem compreender quem reamente somos e o qual é a nossa missão. O caminho óctuplo de Buda é o caminho da iluminação, do desenvolvimento e da evolução.

Sobre o autor

Copini

Sou o responsável pela Alphalife, nos últimos tempos me dediquei a ajudar os homens a conquistar as mulheres e melhorarem seus relacionamentos.

comentários

Alphalife - Matheus Copini - Todos os direitos reservados 2017