Talvez Você Ainda Seja Um Escravoceta

Transcrição do vídeo:

Semana passada, no meu último vídeo/post eu falei sobre a essência do desenvolvimento pessoal em 5 fases. Acontece que, inevitavelmente o desenvolvimento da espiritualidade, está incluso em tudo isso. Mas eu nunca falei sobre o lado espiritual por que é um assunto delicado e deve ser introduzido com muito cuidado. Nesse último vídeo eu pedi a opinião dos meus inscritos se eu falo ou não sobre espiritualidade. Umas 600 pessoas disseram sim e umas 3 pessoas disseram não, então é óbvio que eu vou falar.

Talvez Você Ainda Seja Um Escravoceta

Só que antes de falar, eu preciso reforçar um pouquinho mais a ideia das outras fases. Porém, eu não posso me tornar repetitivo. Eu já falei sobre o ego e já falei sobre evolução moral então cabe a mim, falar um pouco mais sobre matrix, e sobre o que é de fato, ser escravoceta. E depois disso eu introduzo os assuntos sobre espiritualidade.

– Como dominar o próprio EGO
– Buhidô, o Código de Honra dos Samurais

Escravoceta, é um termo que nasceu provavelmente nos grupos de desenvolvimento masculino. É um nome feio, mas não existe um nome mais adequado pra definir aquilo que eu quero falar. No funcionamento da sociedade existe uma matrix. E a matrix é um sistema que condiciona as pessoas a agirem de uma determinada forma.

Pessoas no geral, tem pontos fracos e pontos fortes, pessoas tem necessidades biológicas, psicológicas e por aí vai. A partir dessas necessidades, as pessoas tomam determinadas atitudes, e muitas pessoas tomando as mesmas atitudes, se forma uma padrão comportamento, ou seja, a matrix.

Um dos principais fatores da matrix é que o homem idolatra as mulheres e acaba se tornando um escravo. Eu acredito que tudo começa pelo ego. Por razões biológicas e egoístas, os homens tem aquela ideia de que “comer mulher e não criar laços emocionais” é um ponto positivo. A ideia de desapego e putaria está muito evidente na cabeça deles, o que faz com que eles consumam muita cultura que promove essas ideias. (Entenda isso por músicas, filmes, novelas e tudo que é capaz de fazer lavagem cerebral em alguém).

E todo esse lixo é dividido em duas categorias:

1. Putaria

Pego como exemplo principal letras funk, que reforçam a ideia de que sexo é o foco da vida deles. Que tudo gira em torno disso.

2. Escravo

Por que escravo? Porque letras de músicas e novelas, quando não promovem putaria e desapego, promovem a ideia de que o homem precisa inflar o ego da mulher pra receber algo em troca.

 

Quando falamos de escravoceta, a primeira coisa que vem na nossa cabeça é a imagem de um homem se humilhando pra uma mulher, inflando o ego dela e mendigando alguma coisa. Aquele tipo de cara que comenta, “linda, princesa”, nas fotos do Instagram da menina. Ainda existem homens assim, e estamos careca de saber que isso é errado, isso é uma piada.

Só que, não são só homens assim que são escravocetas, homens “pseudo-cafajestes desapegados” também tem comportamentos de escravoceta. Se parar pra pensar, muitas das suas atitudes foram motivadas por mulheres. Não necessariamente uma mulher especifica, mas o que aquela pessoa pode te proporcionar (sexo).

– Trabalhar, juntar dinheiro pra comprar um carro pra se sentir admirado e atrair mulheres.
– Usar roupas de marca pra se sentir admirado e atrair mulheres.
– Ir todo final de semana pra uma balada pra pegar mulher.
– Passar o dia inteiro grudado no WhatsApp pra conversar com mulher.
– Se sentir feliz quando conseguiu transar com alguém, tratar isso como uma vitória.
– Se sentir triste quando levou um fora de alguém, tratar isso como derrota.
– Levar a menina pra jantar num lugar caro, tentar impressionar ela e tentar agradar ela.

E tem mais, não são só os homens baladeiros que dependem da aprovação das mulheres pra se sentirem melhor. Homens que tem namorada, quem tem um relacionamento também são escravos. Na verdade isso é o que mais se vê por aí.

Um homem que é mandado pela mulher, pra mim é um escravoceta. Um homem que começa um relacionamento e vive em função dessa mulher, vive bajulando ela, vive tentando agradar, um cara que deixa de ter o s próprios Hobbies, deixa de ter contato com os amigos, isso também é ser escravo. É logico que a namorada merece uma atenção especial. Mas quando ela faz com que você deixe de ter uma vida, não faz sentido ter um relacionamento.

 

Resumindo: 

Não são só os homens que bajulam as mulheres que são escravocetas. Aqueles homens que vivem em função de estar em uma balada ou de ir atrás de mulheres, são mais escravos do que qualquer um, só que não percebem. E eu sei que tem alguns aí que pensam:

“Copini, você ensina a pegar mulher, você não pode falar sobre escravoceta.” 

Sem burrice e sem ignorância. Eu ensino sim a conquistar mulheres. Só que eu ensino a conquistar fora da matrix, eu ensino os homens a deixarem de ser escravos e deixarem de buscar a aprovação das mulheres. Ensino que nunca, em hipótese alguma, as mulheres devem ser o centro da tua vida.

Você tem todo o direito de ir em baladas, de ir atrás de mulheres, de sexo, do que você quiser, porém a sua vida não pode girar em torno disso nunca.  Se não, eu não estaria aqui fazendo vídeos sobre matrix e escravoceta.

Eu ensino as pessoas a viverem romances e crescerem com isso.

 


privacy Suas informações estão 100% livres de SPAM.

Sobre o autor

Copini

Sou o responsável pela Alphalife, nos últimos tempos me dediquei a ajudar os homens a conquistar as mulheres e melhorarem seus relacionamentos.

comentários

Alphalife - Matheus Copini - Todos os direitos reservados 2017